article image

A escola de aprendizagem

O eTwinning interligou as escolas, à semelhança da geminação entre cidades para unir comunidades em todo o mundo. A declaração de missão do eTwinning, as Escolas eTwinning são organizações de aprendizagem inclusivas e inovadoras, desenvolve ainda mais esta ideia, realçando as interações e as dinâmicas, nas escolas e entre estas, enquanto organizações de aprendizagem.

Desde 2005, as Escolas, que são organizações de aprendizagem, adaptam-se mais rapidamente do que as escolas estáticas que não evoluem, como observa um relatório do Grupo de Trabalho para a Educação e Formação 2020 (1): “A escola enquanto organização de aprendizagem, envolve todo o seu pessoal na resolução de desafios e evita dependência excessiva de hierarquias convencionais para assegurar a apropriação na respetiva implementação.”

A escola de aprendizagem explora novas abordagens para melhorar a aprendizagem de todos os alunos, centrando-se em sete dimensões da OCDE (2016) (2):

  • Desenvolver e partilhar uma visão centrada na aprendizagem de todos os alunos - um sentido de direção e uma força motivadora para uma ação sustentada a fim de atingir os objetivos individuais e escolares
  • Criar e apoiar oportunidades de aprendizagem contínua para todos - investindo em oportunidades de qualidade ao longo da carreira para que os professores possam melhorar os seus conhecimentos profissionais e aprender em paralelo com os alunos
  • Promover a aprendizagem colaborativa entre todos os membros do pessoal - os professores trabalham e aprendem em conjunto, presencialmente e/ou em linha, sendo que a criação de redes de pares desempenha um papel importante no reforço do profissionalismo
  • Estabelecer uma cultura de investigação, inovação e exploração - ser inquisitivo e usar a iniciativa e a vontade de experimentar novas ideias e práticas
  • Integrar sistemas para partilhar conhecimentos e melhores práticas - as escolas ricas em informação produzem e analisam dados pertinentes, utilizando-os para avaliar os resultados de aprendizagem e aferir a aprendizagem
  • Aprender com e a partir do ambiente exterior, incluindo o contexto social, político e económico – construir parcerias com os pais e as comunidades locais 
  • Modelar e expandir a liderança da aprendizagem - os “alunos líderes” podem criar as condições para que outros façam o mesmo e os dirigentes escolares podem modelar e incentivar o profissionalismo.

Para que as escolas, enquanto organizações de aprendizagem, tenham sucesso, é fundamental que exista confiança e empenhamento partilhado que apoie um esforço colaborativo. A participação no eTwinning proporciona esta oportunidade, no âmbito de uma comunidade de aprendizagem à escala europeia que respeite a diversidade de opiniões, incentive a experimentação e celebre o sucesso.


Exemplos de boas práticas das escolas eTwinning:

Durante 2019-2020, o Serviço Central de Apoio do eTwinning trabalhou em estreita colaboração com seis escolas eTwinning como parte do acompanhamento e desenvolvimento das escolas eTwinning.

Em certa medida, testemunhamos em todas as escolas os elementos descritos pela OCDE como "escolas de aprendizagem" que exploram novas abordagens para melhorar a aprendizagem de todos os alunos, centrando-se na concretização das sete dimensões supramencionadas.

No Col·legi Sant Josep em Navàs, Espanha, a escola associou-se à  “Escola Nova 21”, uma aliança de escolas e de instituições da sociedade civil para um sistema educativo avançado, e adotou uma visão da escola que possui elementos comuns à Missão da Escolas eTwinning. A visão e missão da escola no Col·legi Sant Josep coloca a aprendizagem dos alunos no centro e funciona com uma instrumento orientador para os professores e um ponto de referência para os pais.

Analisando o segundo elemento das escolas enquanto organizações de aprendizagem, o desenvolvimento e aprendizagem profissionais contínuos do pessoal escolar faz parte integrante das atividades dos professores na Direzione Didatica Ottavo Circolo, uma Escola eTwinning em Piacenza, Itália. Em 2019, os dois diretores adjuntos das escolas pré-primária e primária organizaram ações de formação profissional personalizadas para incentivar a participação entre os colegas e melhorar os seus conhecimentos. Foram organizadas ações de formação na escola, com base em dois projetos eTwinning que tinham desenvolvido. 

No Col·legi Sant Josep, a promoção da aprendizagem e da colaboração entre todo o pessoal tem lugar em projetos colaborativos interdisciplinares. No ano letivo de 2019- 2020, quase todas as turmas estiveram envolvidas num projeto eTwinning interdisciplinar, em que cada turma participou em atividades de curta duração ao longo do ano. Foi, assim, possível aos professores trabalhar de perto e de forma interdependente, partilhando conhecimentos e competências. 

Na Escola Experimental da Universidade de Tessalónica, os alunos e os professores são incentivados a assumir um papel ativo. A escola aplica uma cultura de investigação, inovação e exploração através de uma diversidade de atividades curriculares e extracurriculares. Os alunos são envolvidos no processo de tomada de decisões, organizando uma formação em linha para os pais. Os alunos prepararam e realizaram um conjunto de cursos em linha (8 aulas) no Moodle sobre a utilização das TIC, o RGPD e segurança digital com o objetivo de combater a exclusão digital dos adultos. Por meio dessas atividades, os alunos não só desempenham um papel de liderança na sua aprendizagem, mas são também atores ativos no processo de inovação da escola.

Na Dr. İlhami Tankut Anadolu Lisesi, uma escola eTwinning em Antália, na Turquia, o pessoal da escola incentiva os alunos a assumir um papel ativo no processo de tomada de decisões na escola através de conselhos de alunos que trabalham em conjunto com a ordem dos advogados da cidade. A escola aprende com e a partir de contextos externos e está integrada na comunidade local.  Da mesma forma, o Lycée des métiers Louis Blériot, uma escola profissional eTwinning do ensino secundário em Trappes, França, trabalha com alunos de origens vulneráveis e com necessidades educativas especiais. A escola organiza exposições e os alunos apresentam os seus trabalhos em vários eventos incluindo as Jornadas Erasmus+, eventos europeus ou a Carta Erasmus+. Nessas reuniões e eventos, a escola atua como uma plataforma de aprendizagem não apenas para os alunos, mas também para os pais e a comunidade em geral.

A Scoala Gimnaziala nr.17, Botosani, na Roménia, é um modelo para outras escolas, proporcionando ao professores e ao pessoal da escola uma oportunidade para se tornarem líderes. Neste sentido, a escola modela e desenvolve a liderança da aprendizagem, através de formações informais e formais com o apoio da Inspeção-Geral de Educação. Os professores partilham as suas práticas, respondem a perguntas, atendem chamadas para ajudar outros colegas em diferentes escolas, organizam sessões individuais e apresentam exemplos da sua própria experiência. Também organizam eventos em linha no eTwinning para mostrar o seu trabalho e partilhar desafios e soluções. 

Por último, as seis escolas participaram na criação de um plano de ação de desenvolvimento escolar. O plano incluiu a recolha e intercâmbio de conhecimentos em cada escola e entre as escolas.


1.Comissão Europeia (2018), Professores e dirigentes escolares nas escolas enquanto organizações de aprendizagem: princípios orientadores para o desenvolvimento de políticas na educação: https://www.schooleducationgateway.eu/downloads/Governance/2018-wgs4-learning-organisations_en.pdf

2. OCDE (2016), O que torna uma escola numa organização de aprendizagem? Um guia para decisores políticos, dirigentes escolares e professores.  https://www.oecd.org/education/school/school-learning-organisation.pdf