article image

Educação para a economia circular: o conceito que integra a ação ambiental nas escolas

O conceito de economia circular oferece uma nova e emergente perspetiva sobre a sustentabilidade. Esta perspetiva é produzida no mundo natural, na qual tudo é encarado como um recurso útil na etapa seguinte da cadeira alimentar, eliminando-se o desperdício.

A Economia Circular contesta o modelo linear atual de produção e consumo. Este modelo linear segue 4 passos:

  • Retirar da natureza;
  • Produzir o produto;
  • Utilizar o produto;
  • Eliminação do desperdício, resultando frequentemente na poluição dos nossos recursos.

Este modelo criou uma economia extremamente dependente do uso de energia e de outros recursos para produzir e executar produtos e serviços, levando à degradação da natureza da qual fazemos parte e da qual dependemos para satisfazer as nossas necessidades diárias.

O desenvolvimento de conhecimento, valores, atitudes/disposição e comportamentos é central à compreensão do conceito de Economia Circular, resultando em ações positivas cujo principal objetivo é o “zero desperdício”. Uma primeira abordagem à educação sobre a economia circular pode ser realizada através de qualquer iniciativa de educação ambiental, como a conservação energética, gestão de resíduos, educação sobre a biodiversidade, alterações climáticas, etc.

Se estiver de momento a trabalhar em ações de sensibilização para a sustentabilidade na escola, a economia circular como conceito é útil para superar os atuais sistemas isolados de ação ambiental. Isto cria uma oportunidade para modelar os conceitos e os princípios da economia circular sob o ponto de vista da “escola inteira”, com vista a reforçar a visão de um mundo sustentável. Qualquer escola com a alguma criatividade pode implementar, com facilidade, medidas que ajudam à promoção da economia circular. A ideia é reproduzir os processos naturais na produção de recursos em vez de desperdício. O raciocínio crítico exigido passa pela avaliação de todos os recursos que entram na escola e pelo acompanhamento do processo que sofrem até se tornarem em algo inútil. Através desta avaliação é possível saber como podemos:

  1. Reformular o nosso consumo para eliminar o desperdício. Isto é possível através do uso de produtos e serviços de longa vida, de materiais recicláveis e possíveis de reparar.
  2. Separar os recursos biológicos que podem ser sujeitos a compostagem, e elementos que podem ser devolvidos à sua forma natural, de outros recursos que podem ser reutilizados ou reciclados. Materiais como os metais e os plásticos podem ser reutilizados para produzir coisas novas.
  3. Utilizar energias renováveis para diminuir a dependência no carvão e noutros combustíveis fósseis. É importante relembrar que o trabalho realizado com a força do corpo também utiliza energia renovável.

Ações que viabilizam a intensificação da circularidade:

  1. Rejeitar coisas de que não necessitamos e coisas que não podemos reciclar.
  2. Reduzir o consumo. Optar por partilhar, alugar ou pedir emprestado em vez de comprar.
  3. Reutilizar e prolongar a vida de um produto através da sua reparação, remodelação e reaproveitamento.
  4. Reciclar e recuperar coisas como o metal, o papel e o plástico.

Circular Economy

A título de exemplo, os alunos podem examinar um produto comum que lhes é extremamente familiar, como o papel. Os alunos podem colocar as seguintes questões para avaliar o ponto até ao qual as suas ações viabilizam a circularidade:

  1. Os produtos de papel são feitos de papel reciclado?
  2. Onde pode o uso de papel ser reduzido ou eliminado?
  3. Os produtos possuem rótulos de sustentabilidade como o do Conselho de Gestão Florestal (FSC)?
  4. Qual o destino dos livros utilizados? São passados ao grupo de alunos do ano seguinte?
  5. Como e onde pode o papel utilizado ser reutilizado ou eliminado em condições de segurança?

Este processo avaliativo pode ser realizado com todas as escolhas de consumo que fazemos com vista a intensificar a economia circular. Relembro o que Albert Einstein disse: “Um problema não pode ser resolvido com o mesmo grau de consciência que o criou”.

A Fundação para a Educação Ambiental está a implementar o projeto Eco-Escolas para a promoção da economia circular (E-SPACE).

Para saber mais sobre o projeto, visite: https://www.ecoschools.global/espace

Pramod Kumar Sharma, Diretor Sénior da Educação, Fundação para a Educação Ambiental