article image

Áustria: eTwinning e Erasmus+ no ano da Covid-19

A colaboração internacional e os intercâmbios entre alunos puderam continuar a realizar-se através do eTwinning..

Em 2020, existiam cerca de 180 projetos Erasmus+ KA229/KA219 ativos com participação austríaca. De entre estes projetos, a maioria tinha planeado mobilidades com os seus alunos para visitar escolas de outros países ou instituições da UE. Infelizmente, devido às restrições da Covid-19, muitas destas mobilidades não puderam realizar-se, privando centenas de alunos desta experiência.

No entanto, a colaboração internacional e os intercâmbios entre alunos puderam continuar com o eTwinning e várias escolas tiraram partido da situação. De facto, na Áustria houve um evidente aumento de projetos no eTwinning com a observação de obtenção de financiamento Erasmus+ KA219/KA229.

"Visto que tivemos de transferir a maioria das atividades para o eTwinning e organizar reuniões online, foi possível que mais alunos participassem do que aqueles que inicialmente estavam previstos através do projeto Erasmus+" conta-nos Michael Huber-Kirchberger, da Linz International Business Schools, destacando um aspeto positivo da situação. Michael e a sua colega Elisabeth Hasiweder têm vários projetos Erasmus+ e eTwinning a decorrerem na sua escola de ensino profissional, que também é uma das Escolas eTwinning austríacas. No projeto “STEPS4SCHOOLS - Sustainable Tourism Educational Projects for Schools” trabalham com outras cinco escolas da Bulgária, Eslovénia, Itália, Portugal e República Checa. Todos estão muito motivados com o tema e ficaram desapontados quando os intercâmbios escolares tiveram de ser cancelados a partir de março do ano passado. No entanto, adaptaram e expandiram as suas atividades no eTwinning. As escolas realizaram recentemente um "intercâmbio escolar virtual", com interação de alunos, aulas internacionais, e até uma visita virtual a Vidin, a cidade anfitriã búlgara.

Para Renate Gerber, da Escola Secundária GRG Maroltingergasse, em Viena, também distinguida com um selo de Escola eTwinning, o eTwinning já fazia do seu projeto Erasmus+ com uma escola em Reunião: “Triple E: E-learning - E-twinning - E-rasmus”. Os alunos da Ilha de Reunião estavam muito entusiasmados por visitar, em maio de 2020, os seus homólogos em Viena, e alguns tinham já comprado vestidos para ir ao baile escolar vienense – no entanto, infelizmente, a pandemia não o permitiu. Renate aponta como grande vantagem a participação de apenas duas escolas no projeto. Isto permitiu-lhes grande flexibilidade, estabelecendo novas atividades criativas no TwinSpace e realizando reuniões virtuais com os alunos cerca de uma vez por mês. Os alunos continuam a seguir os seus objetivos de intercâmbio bilingue (francês/alemão) e a aprender sobre várias aplicações, experimentando-as no TwinSpace e durante as reuniões, e partilhando relatórios e comparações das situações de Covid-19 nas suas respetivas regiões.

Bernd Fiechtl, coordenador da UE e professor na Escola Básica BG/BRG Judenburg, não tinha inicialmente planeado integrar o eTwinning nos projetos Erasmus+ da sua escola. Na escola de Bernd, os alunos mais novos (3.º e 4.º anos) são introduzidos ao trabalho internacional através do eTwinning e os mais velhos (5.º e 6.º anos) participam em projetos e mobilidades Erasmus+. Contudo, como o seu projeto Erasmus+ de dois anos teve de ser prolongado e os alunos mais pequenos estão a avançar, a escola continuará a criar workshops e a integrar o intercâmbio através do eTwinning. Os projetos eTwinning online também estão a ser integrados no programa bilingue da escola, em aulas de línguas estrangeiras e geografia, reforçando ainda mais a componente internacional da escola.

Todos os projetos Erasmus+ dos nossos entrevistados foram prolongados por um ano, mas ainda há esperança de que pelo menos algumas mobilidades sejam possíveis. Em qualquer caso, apesar de todas as dificuldades dos encerramentos das escolas e do ensino à distância, todos insistem (tal como, aliás, muitos eTwinners) que os projetos internacionais valem o esforço. Michael, de Linz, faz o resumo: através de projetos eTwinning e Erasmus+, os alunos mostram mais motivação, mais independência e melhores capacidades de apresentação e retórica. A flexibilidade, o apoio da direção escolar e dos colegas, a utilização criativa do eTwinning e outras possibilidades na Internet, bem como a colaboração com as escolas parceiras revelaram-se fundamentais para a continuação das atividades internacionais, mesmo durante o ano em que não se pôde viajar.

school

© OeAD/Gianmaria Gava & Pablo Chiereghin