article image

Conferência Anual eTwinning 2017 em Malta: Transformar a inclusão em ação

750 eTwinners e mais participantes de outras esferas, reuniram-se na semana passada em Malta para a Conferência Anual eTwinning, demonstrando, sem qualquer margem para dúvidas, que a inclusão é uma celebração!

Num mundo onde a amizade é valorizada, os professores eTwinning, diretores de escolas e educadores de toda a parte da Europa, demonstraram, discutiram e analisaram a importância de fazer amizades e construir alianças.

Durante o primeiro dia, Rodrigo Ballester, membro do gabinete do Comissário para a Educação, Cultura, Juventude e Desporto Tibor Navracsics, abriu a sessão do plenário, dando as boas-vindas aos participantes e relembrando-os que são os protagonistas do eTwinning, acrescentando:

O eTwinning precisa de crescer, já somos 500 mil membros, mas podemos ser mais ambiciosos!

Mark Penfold, Professor da disciplina “Alcançar Resultados com Minorias Étnicas” na Faculdade de Babington em Leicester, deu um discurso de abertura inspirador e emocional, intitulado: “O significado, filosofia e prática da inclusão na era digital”.

Em palavras simples e concisas, Mark Penfold lembrou-nos do óbvio:

Não vais conseguir colher frutos se tratares um limoeiro e uma figueira da mesma forma. Encontra a melhor forma de tratar cada planta!

Mark Penfold esclareceu que os professores têm que compreender que a inclusão não é tratar todos da mesma forma, mas sim dar as mesmas oportunidades a todos. Convidou os professores e legisladores a pararem de confundir inclusão com integração, sublinhando que a inclusão implica uma mudança, e a longo-prazo, um ajustamento da parte de todos.

Após este discurso de abertura arrebatador, os eTwinners procederam para o jantar de entrega de prémios. A sala estava repleta de caras satisfeitas e entusiasmadas. Os projetos reuniram alunos de toda a parte da Europa, com o objetivo de melhorar o entendimento dos mesmos sobre a inclusão.

Durante a conferência, a hashtag #eTconf foi uma tendência no Twitter, alcançando mais de 3 milhões de pessoas através dos valores do eTwinning, por toda a Europa e além. 

Durante o segundo dia, os participantes desfrutaram de 52 workshops dados por professores e formadores experientes, em diversos tópicos à volta do tema da inclusão como, por exemplo, aprendizagem social e emocional, tecnologias descentralizadas, desenvolvimento de competências interculturais na sala de aula, e igualdade de género e diversidade na educação. Pode encontrar as apresentações PowerPoint aqui.

Os participantes tiveram a oportunidade de escutar pessoas de uma variedade de organizações como a Comissão Europeia, COFACETerre des HommesEco-SchoolsEuroclioPeace JamScience in Schools, assim como dos Serviços de Apoio Nacionais do eTwinning.

Para mais informações sobre os workshops e os oradores, sugerimos que consulte o nosso blog “eTwinning Annual Conference - Malta 2017”. 

Durante o terceiro e último dia da conferência, os participantes reuniram-se para a sessão plenária de conclusão. Evarist Bartolo, Ministro da Educação e do Trabalho de Malta abriu a sessão com declarações ressonantes que causaram impressões fortes a todos os presentes. O Ministro falou da necessidade de encontrar práticas verdadeiramente inclusivas ao invés de pretensiosas e com abordagens uniformes, evocando a necessidade de pôr a declaração universal dos direitos humanos acima de valores culturais e religiosos.

Durante a discussão de painel, os participantes não só escutaram como ativamente participaram, expressando a sua opinião através de uma votação ao vivo. A questão final “como vai transformar a inclusão em ação quando voltar para a escola?” obteu várias respostas, muitas expressando empatia, colaboração e compreensão. Apenas uma palavra conseguiu a maioria dos votos, talvez por ser a personificação de todas as acima. Essa palavra foi eTwinning.